Conheça o scanner KTS 200

Já faz tempo que a evolução chegou nas oficinas mecânicas e que a tecnologia faz parte integral do trabalho dos mecânicos. Desde que a eletrônica embarcada nos veículos modernos se tornou uma realidade constante, foi preciso que os profissionais se atualizassem para entender como funciona e saber usá-la na hora de uma manutenção ou reparo. O scanner de diagnoses é um dos mais importantes equipamentos que auxilia nessa tarefa, por isso, investir num bom scanner é essencial para ser competitivo no mercado.

Assim como os veículos evoluem, os scanners também passaram a apresentar vários recursos que ajudam a acompanhar essa trajetória. Inclusive, muitos carros dependem do equipamento para serem reparados. Nessa linha, mostramos o funcionamento e a aplicação de um dos produtos da Bosch para o mercado reparador, o KTS 200, um equipamento portátil de fácil manuseio, que faz a leitura das informações dentro da unidade de comando dos veículos com grande abrangência entre os modelos nacionais e importados.

kts_200

“O grande diferencial do equipamento é a grande cobertura disponível e a capacidade de atualização com rapidez e flexibilidade, para não ficar defasado em relação aos lançamentos de veículos”, avalia Rodrigo Iglesias, Gerente Nacional de Vendas da divisão de equipamentos de testes da Robert Bosch do Brasil. “Com o KTS 200, o mecânico pode oferecer diagnósticos completos, rápidos com precisão e confiabilidade de qualquer modelo de veículo, inclusive os mais modernos, afinal, é um aparelho que já existe na Europa”, complementa.

Pequeno mas eficiente

Com o KTS 200, o mecânico pode verificar as condições da injeção eletrônica de motores ciclo OTTO (gasolina, álcool, flex) e alguns modelos Diesel, como picapes, vans escolares e mini-ônibus. Também permite a integração de outros sistemas de eletrônica embarcada, como ABS, air bag, câmbio automático, climatização, rede de comunicação CAN, painel eletrônico, imobilizador, vidros, faróis etc.

As vantagens do KTS começam na sua apresentação: é compacto, portátil, tem o corpo em plástico com revestimento resistente de borracha e conta com dois comandos um de cada lado do tipo joystick, igual aos de vídeo game, ou seja, é usado com facilidade por destros e canh otos. O menu é simplificado e a tela de LCD colorida, além de ser moderna, ajuda na leitura dos diagnósticos. Além disso, por ser portátil, o aparelho permite ainda alguns testes com o carro em movimento.

De acordo com Rodrigo, é importante lembrar que além da ergonomia, o equipamento é fácil de operar através do sistema ESI[tronic] da Bosch. “O mecânico pode escolher em usar o aparelho com alimentação externa ou ligado na fonte de energia do carro, ou seja, no acendedor de cigarro ou ainda no próprio conector de diagnóstico com cabo padrão OBD (On Board Diagnostic)”.

Cobertura e atualização

De acordo com a Bosch, o KTS 200 é operado pelo software ESI[tronic], uma plataforma moderna desenvolvida e usada pela marca em todo o mundo, que oferece ampla cobertura e diversas funções. “Essa é a mesma base de dados de outros scanners sofisticados da Bosch, como os scanners da série 500, que atende desde o Chevrolet Kadett ano 1992 até o Volkswagen Passat 2010. Ao comprar um KTS 200, a oficina já vai contar com a cobertura de mais de 100 montadoras que já vem no pacote, a partir daí são feitas as atualizações”, afirma.

Outro benefício do KTS importante para o mecânico é a flexibilidade da atualização e a abrangência do software. “O empresário compra o hardware e o software na última versão disponível, então, a Bosch disponibiliza quatro atualizações por ano, uma a cada três meses, que ele pode ou não adquirir e da maneira que for mais conveniente”, diz Rodrigo.

A fabricante oferece ainda todo treinamento e suporte para os usuários do KTS 200 para mostrar, principalmente, como tirar o melhor aproveitamento do produto. “A Bosch dá direito a um curso na fábrica para dois funcionários ou um curso na internet, se a oficina for muito distante. Se a região comprar uma quantidade razoável de equipamentos, a empresa manda um representante técnico para treinamentos no local”, observa.

Existem três momentos de informações para o mecânico: na hora da entrega do aparelho na oficina, quando o técnico da Bosch transmite as informações básicas e o set up do produto. O hot line técnico, na qual o pessoal de assistência técnica dá o suporte para todo o Brasil, e as visitas técnicas realizadas periodicamente. “Em caso de manutenção, primeiro um técnico tenta reparar o equipamento no local, senão manda para o segundo nível de suporte que é feito na fábrica”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shopping cart